sexta-feira , 15 dezembro 2017
Home / Destaques / Canapi: Analfabetos eram usados em esquema de corrupção que desviou R$ 27 milhões

Canapi: Analfabetos eram usados em esquema de corrupção que desviou R$ 27 milhões

O Repórter Secreto do Fantástico mostra a triste vida de ‘laranjas’ que, na verdade, são vítimas de um esquema que desviou R$ 27 milhões de Canapi, no interior de Alagoas. A cidade é pobre e sofre muito com a seca, mas a quadrilha, comandada pelo ex-prefeito, usou até carro-pipa para fraudar os cofres públicos.

Em entrevista ao programa, o promotor José Carlos Castro e o delegado da Polícia Federal Antônio José Silva Carvalho afirmaram que o então prefeito era o líder de uma quadrilha que teria desviado R$ 27 milhões dos cofres públicos de Canapi. O dinheiro deveria ter sido usado para compra de merenda escolar, fraldas descartáveis, pagamento de transporte escolar e carros-pipa.

Para desviar os recursos, segundo o promotor e o delegado, os fraudadores usaram “laranjas”, pessoas que, sem saber, tiveram seus nomes usados para o cometimento dos crimes. Muitas dessas pessoas são beneficiárias do Bolsa Família, algumas não sabem ler, não têm emprego fixo nem conta em banco e, em alguns casos, não possuem nem água em casa.

“O dinheiro que poderia abastecer a sede dessas pessoas foi desviado para os interesses pessoais do prefeito e de sua quadrilha”, ressaltou o promotor José Carlos Castro. “Celso Luiz Tenório Brandão é figura carimbada na Polícia Federal em Alagoas e é conhecido como um dos últimos coronéis do Sertão alagoano”, enfatizou o delegado da Polícia Federal.

O Fantástico destacou que o município de Canapi, um dos mais pobres do Estado, tem 18 mil habitantes e cerca de 70% deles são beneficiários do programa Bolsa Família. “Os laranjas da região foram usados para a quadrilha abrir empresas de fachada e passar notas por serviços não prestados”, disse o apresentador do programa, Tadeu Schmidt.

Ainda segundo o delegado da Polícia Federal, o ex-secretário de Assuntos Estratégicos da gestão de Celso Luiz, Jorge Valença, era um dos operadores da fraude. Dono de um mercadinho que vencia as licitações da prefeitura, o ex-secretário não quis dar entrevista ao Fantástico.

A reportagem lembrou ainda que Celso Luiz já foi investigado e preso pela Polícia Federal na Operação Taturana, em 2007, quando era deputado estadual, acusado de participação num esquema que teria desviado R$ 300 milhões da Assembleia Legislativa Estadual (ALE).

Em nota, o advogado do ex-prefeito disse que seu cliente é vítima de perseguição política e jurídica e que nada ficará provado contra ele. Também em nota, o advogado do ex-secretário Jorge Valença disse que todos os negócios com a Prefeitura de Canapi foram realizados dentro da legalidade e que ele continua à disposição da Justiça.

Aliado do governador Renan Filho (PMDB), Celso Luiz é pai do diretor presidente do Instituto de Metrologia e Qualidade de Alagoas (INMEQ/AL), Luiz Pedro, nomeado para o cargo pelo próprio governador, e esposo da vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/AL), conselheira Cleide Beserra.

 

 

 

 

¨*com informações do g1 e correionoticia

Veja Também

Piranhas: jovem é baleado no rosto

Jovem teria levado tiro de espingarda calibre 12 após receber voz de assalto