quinta-feira , 18 janeiro 2018
Home / Saúde / Câncer do colo de útero matou mais de 100 alagoanas em 2014, aponta pesquisa

Câncer do colo de útero matou mais de 100 alagoanas em 2014, aponta pesquisa

Apenas 53,8% população feminina em Alagoas realizou o exame de papanicolau que detecta doenças no colo do útero. O dado foi divulgado em uma pesquisa realizada pelo Observatório de Oncologia, com base nas informações coletadas pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) e o Ministério da Saúde.

O estado foi considerado com a menor porção de mulheres que realizaram exame Papanicolau, o que resultou em 101 mortes de alagoanas provocadas pelo câncer de colo de útero em 2014.

Apesar de apresentar uma médica tão baixa na realização do exame, quando comparado a taxa de mortalidade de outros estado, Alagoas ficou na frente de estado como Rio de Janeiro, Sergipe e Pernambuco.

Em 2014, a maior taxa de mortalidade por câncer de colo de útero foi encontrado no Amazonas (14,97 óbitos / 100.000 mulheres) e a menor taxa em São Paulo (3,48 óbitos / 100.000 mulheres).

Como uma medida de prevenção da doença, no mesmo ano foram vacinadas em Alagoas 159,094 meninas entre 09 e 14 anos com doses aplicadas da HPV Quadrivalente.

Tenho HPV, vou desenvolver câncer?
Não. Aproximadamente 291 milhões de mulheres no mundo são portadoras do HPV e comparando esse dado com a incidência anual de aproximadamente 500 mil casos de câncer de colo uterino, conclui-se que o câncer é um desfecho raro, mesmo na presença do vírus. Ou seja, a infecção pelo HPV é um fator necessário, mas não suficiente para o desenvolvimento do câncer do colo do útero.

Além do HPV, há outros fatores que aumentam o risco para desenvolvimento deste tipo de câncer. Fatores ligados à imunidade, à genética e ao comportamento sexual, podem determinar a regressão ou a persistência da infecção pelo HPV e também a progressão para lesões precursoras ou câncer. Desta forma, o tabagismo, o início precoce da vida sexual, o número elevado de parceiros sexuais e de gestações e o uso de pílula anticoncepcional são considerados fatores de risco. A idade também interfere nesse processo, sendo que a maioria das infecções por HPV em mulheres com menos de 30 anos regridem espontaneamente, ao passo que acima dessa idade, a persistência é mais frequente.

Como posso me prevenir?
É muito importante ressaltar que o câncer de colo de útero é um câncer altamente preventivo. A prevenção é feita basicamente de duas formas: com a vacinação contra o HPV antes do início da vida sexual e fazendo o exame preventivo de Papanicolau (exame citopatológico do colo do útero), que pode detectar as lesões precursoras. Quando essas alterações que antecedem o câncer são identificadas e tratadas, a porcentagem de prevenção da doença é alta.

O exame deve ser feito preferencialmente pelas mulheres entre 24 e 64 anos que têm ou já tiveram atividade sexual. Os dois primeiros exames devem ser feitos com o intervalo de um ano e, se os resultados forem normais, o exame passará a ser realizado a cada 3 anos. Com o rastreamento do Papanicolau aliado à pesquisa de HPV de alto risco, a chance de reduzir a mortalidade do câncer de colo do útero é muito grande e com a vacinação contra o HPV, esse número aumenta ainda mais.

 

 

*Com informações do Observatório de Oncologia

Veja Também

Campanha de vacinação contra gripe começa nesta segunda e inclui professores

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza começa nesta segunda-feira (17), anunciou o Ministério ...